segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

SAN DESIGN VS KOTA NGUMA




































Fale sobre quando começou e quando teve o primeiro contacto.

Ya! O primeiro contacto foi no ano 1989 na véspera da queda do muro de Berlim na escola Óscar Ribas, na altura estava a fazer a 5 classe, via os b boys a dançar dentre eles o kota Alex e curiosamente quis aprender. O filme break dance exibido em 1986 na TPA. O verdadeiro envolvimento foi em 1990 quando surgiu uma vizinha nova no meu bloco, na casa de baixo que viviam no Egipto e o filho dela trouxe materiais áudios e vídeos de bob marley, mc hammer, milli vanili, Ice cmc, public enemy, run DMC, bob brown e outros, e nós imitávamos no quarto. Na altura já tínhamos noções básicas de inglês e comecei a escrever as letras em inglês, e aí as coisas ganharam pernas.   

Já teve um grupo.
Sim! Já tive passei por muitos, grupos de dança, (Rock Negros-dança, DK POSSE-dança e musica, DASAFROS-musica e posteriormente kuarteirão Norte), algumas musicas gravadas na altura na terra nova no estúdio do Mr Paul, estúdio futuro, ya! Mano foi a trajectória de um pioneiro do hip hop nacional… 

Actualmente como vê o hip hop.
Actualmente o hip hop encontra-se num estagio praticamente comprometido, isso naquilo que eu sei desde a estrutura da cultura hip hop, isso e, se há Mc, não há b boys, se há b boys não há grafwriters, se há grafwriters, não há não Djs, nunca temos os quatro elementos de base representados, temos um hip hop deficiente, mas a nível musical os rappers mangurras cresceram muito, isto e, bons produtores, beat makers, Mcs, meios técnicos etc. De outro lado o problema esta na questão temática, muita quantidade, letras fictícias, falta de identidade própria …    

Acha que já não se faz bom rap.
Dentre os discos existentes no nosso mercado, verdade seja dita meu! Temos de separar o trigo do joio, isto não e nenhum disparate, temos muito rappers metidos a camaleões sofrem metamorfose com a influência da BET, MTV, CHANNEL O e outras cadeias e revistas, epa! E triste, esses putos tem de apreender mais, ler mais, pelo menos o ABC do hip hop de maneira que quando vão as entrevistas não falam só do álbum musical a sair mas passem também alguma coisa… toda hora eu sou o rei do club, tenho mboas, isso, aquilo, dicas burras, mas se lhes tirar o microfone não falam nada… boelus microfonistas! Existem bons álbuns também, os verdadeiros hip hoppers sabem não preciso citar!

Angola representa o suficiente dos elementos do hip hop
Francamente não!...existem alguns manos que sentem este movimento no fundo da alma, os poucos que compreenderam isso  como uma ferramenta de luta, de transformação social, de denuncia, de construção social, e eu respeito o esforço deles, de outro lado do movimentos estão os seguidistas que pensam que isso e moda como a vaiola, Kapreku e outros modismo de dança que o pessoal esta acostumado como cenas passageiras… sinceramente a sociedade precisa saber a estrutura ideológica do movimento hip hop pra melhor nos respeitarem e considerarem a nossa luta na mudança do pais, África e do mundo, o hip hop e uma ferramenta juvenil universal, e uma ferramenta da sociedade civil, logo, os seus praticantes tem de mergulhar no conhecimento, informação, educação…   

O que tem feito em prol do movimento.
Sou Mc, activista e professor, logo, sinto que quando estou a fazer pelo o movimento, estou a fazer também pela sociedade, que em suma, e o meu objectivo principal…o hip hop e apenas uma camisola ideológica e artística que eu e outros usamos para contribuir na resolução de alguns problemas sociais.   

Quer deixar alguma mensagem sobre a nova geração.
Ya bue! Mas começou por citar um provérbio que e da minha autoria que diz; “cada geração é responsável pela mudança do seu próprio tempo”
. Quero com isso dizer que temos de participar directamente na construção da nossa comunidade ou sociedade, porque um pais sem estrutura social não garante a qualidade de vida do cidadão, mas sim a quantidade, bêbados, prostitutas seguidistas, delinquentes, ladroes, mentirosos, arquitectos de imagens falsas, gajos de cérebros mortos, tudo isso, não constitui capital humano…este e o modelo da juventude Angolana, preocupados com roupas de marcas, meios tecnológicos de primeira agua, em suma covardes… carros bonitos sem estradas, escolas sem bibliotecas, projectos sociais de curto prazo, bairros sem casas pra a juventude conversar, debater, palestrar, trocar experiencias, universidades com professores sem agregação pedagógica com missão de tornar cada vez mais burros a juventude, temos de ler a constituição do nosso pais e nela onde todos os angolanos se revêem, conhecer os nossos direitos e exigir também, saber como anda o nosso pais, as questões de inconstitucionalíssimo, abusos, eleições macabras, cabalas politicas… tudo porque esta geração na esta sincronizada, cada um quer aparecer num temporal sem participar na vida social, o angolano interiorizou de mais o ter (materialismo) e não o ser (personalidade, capital social), a dica e se és honesto com dinheiro moderado não estas com nada, se és humilde não estas com nada, mas se tens dinheiro sem escrúpulo és adorado, infelizmente as virtudes estão invertidas!   












































Acha que os álbuns lançados ate agora precisam de mais alguma coisa.
Ya! Mais conteúdo …o musico é o porta-voz da sociedade, como tal, tem de dizer alguma coisa que preste, músicos modelos como Paulo Flores, Bono Vox que velam pelas causas dos povos…

Existem projectos em carteira.
Bue mano! Desde os artísticos ate os sociais, falar com outros jovens de África e do mundo, trocar experiencias, palestras, conferencias, debates, aproveitar o meu tempo de vida para contribuir em alguma coisa no mundo, eu acredito que cada ser humano enquanto viver tem uma missão especial mas, tem de lutar para descobrir e praticar, a minha camisola ideológica e o hip hop- alto poder de ajuda aos povos oprimidos. 

Pelos problemas que se vive em Angola ou em África, acha que seria necessário todos falarem dos mesmos problemas.
Não! As pessoas devem tratar das coisas de forma diversificada, diferentes pessoas, diferentes temas, não vamos criar statu quo nos temas… 

Acha que a midia ajuda o nosso hip hop 
     Olha mano temos de partir do principio que o hip hop e uma cultura de resistência, a midia faz o que pode, não partilho a ideia de que temos de esperar a midia fazer, eu lembro que fazíamos os shows no campo da Encib no cazenga, lá no Hoji-ya-Henda sem passar a publicidade mas, tinha muita aderência, o problema e que as pessoas já não levam o hip hop pra rua, tudo agora esta nos circuito fechado, tudo cumbu…cumbu… os realizadores poderiam levar o hip hop duas vezes por ano nas ruas, onde ele nasceu…  

Liberdade de expressão nas musicas, o que diz.
Eu não diria apenas nas músicas, a liberdade de expressão e uma questão de educação social, se o cidadão não estiver educado para exercer este direito logo o artista também não vai exercer, porque ele antes de ser artista e cidadão.

O capitalismo influencia muito o nosso hip hop.
Desde a queda do muro de Berlim em 1989 o capitalismo tomou conta dos movimento financeiros e económicos do mundo e, o hip hop não e excepção… se tu veres o que mais vendem em Angola e no mundo são os rappers comercias… fruto do capitalismo!  




quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

SAN GRAPHIX VS ADIVENCE _ SKILLS



































Logos feitos para os brother esles ficaram com os dois, Já agora um aló para o dread ADIVENCE muita força, quando passsares pelo meu blog não esqueça deixa uma dica

SAN GRAPHIX VS REDUZIDOS A NADA _ SKILLS







































Esta póster é ao mesmo tempo a capa de um filme de produção nacional, como diz a imagem REDUZIDOS A NADA, um drama muito forte que retrata a vida de rua de putos sobrevivente dos longos anos de guerra que assolou o nosso pais, depois de uma invasão, os putos tiveram que sair da suas terras de origem caminhando a pé para a capital do pais e começar uma nova vida. E aí têm que enfrentar uma nova realidade.
Produzido pela CALEIA RECORD´S e realizado por JACK CALEIA edição de HELDER CALEIA, como podem ver os nomes somos a família CALEIA.

O filme já rolou pelos cinemas da capital e sei que muitos tiveram a oportunidade de ver, ainda não se fez venda exclusiva do DVD, mas já está programado para breve.

Fiquem bem.

Muita paz

SAN GRAPHIX VS RAIVA _ SKILLS

























Este foi um mambo rápido que se faz para um disco de apresentação de alguma faixas musicais de RAIVA single KAMISKAZE com três faixas musicas audio e outras para leitura pc.
Lembro-me que fizemos isto rápido aí no final do dia no mó xalé quando ainda residia no Márteres.

One MUITA PAZ

SAN GRAPHIX VS MOISES PREGADO _ SKILLS




Mais uma vez posto aqui um dos files que tenho no arquivo para que vocês possam ver e analisar,  muitos dos trabalhos em que ponho os dedos não posso publicar por direitos dos proprietários, falo concretamente de Empresas.

Como vêm na data do póster o Mano vendeu o disco recentemente e o póster esteve colado pelas ruas de Luanda.
O mano faz musicas variadas como Semba, Kizomba e tal.

One 

Muita PAZ
SAN CALEIA



SAN GRAPHIX VS MIXTAPE WK _ SKILLS


























Esta mixtape ja anda pelas ruas de Luanda, agora fiquem com as imagens do layout deste projecto, elaborado por mim e postado qaui para baixarem.
paz



SAN GRAPHIX VS LUCIDOS _ SKILLS






















































































































Estas são as propostas que fiz para este grupo de Rap, residente no Hojy Ia Henda LUCIDOS como as imagens exprimem, é composto por três elementos mas que feliz ou infelizmente pararam o projectos para alguns acertos, eles que já possuíam algumas faixas musicas proporcionais a rolar apelas rádios de Luanda, o projecto conta com a produção de vários manos inclusive SAN CALEIA, FILAS e outros.
Eu tive a oportunidade de bumbar com eles em várias áreas com produção designer e raper.
muita paz espero pelo teu comentário.



SAN GRAPHIX VS FLAGELO _ SKILLS





































































Voces conhecem bem o irmão e muitos sei que têm em mão o projectos deste mano FLAGELO URBANO, um dos nomes mas fortes do nosso movimento. Nem preciso falar mais sobre ele esperem  pela entrevistas eu estou adiantando as picts a seguir os sons e a palavras do artista.
Força mano, cuide bem do meu album (passo a publicidade) para quem não sabe este dread está a cuidar da mix final do projecto de SAN CALEIA intitulado "TRANSCENDENCAI" paz

SAN GRAPHIX VS DEJANO _ SKILLS
































































































DEJANO KANGA estas são as senas que fiz para este mano que tem um estilo muito raro, criativo falo-vos de GETTO JAZZ um vibe que o bro desenvolveu, a fazer senas acústicas e sinceramente vou postar e vocês irão muito. Observem e comentem muito paz aguardem pelos promocionais

SAN GRAPHIX VS DAVEJU _ SKILLS

































Ok estas são as propostas finais para o mano DAVEJU que lançou o album a poucos meses na portaria do Cine Atlântico, em breve vou postar aqui a capa final feita por mim, e quando poder as musicas deste album e uma entrevistas exclusiva com o meu nigga DAVEJU. paz

SAN GRAPHIX VS BONI _ SENAS DO PORFÓLIO VARIOS SKILLS


















Ok manos aqui estão umas das ultimas propostas que fiz para o Boni, felizmente vocês conhecem qual dos logos foi aprovado. fiquem na paz manos. Um abraço a meu mano Boni muita paz força para DIFERENCIAL

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

SAN VS KAMESU










































































Fui ao kubiko deste grande MC para uns papos roubei-lhe estas pic e foi opurtuno fazer estas perguntas e ia muito porreiro obtive as respostas assim rapidinho, mas valeu as dikas do bro é sempre um ponto de vistas  curtem


1 – Kamesu, como e quando surgiste?
R: a princípio comecei vendo os kotas da banda no break dance, posteriormente os seus ensaios vocais num kubico bem ao lado do meu, isto nos princípios da década de 90. Porem foi em finais da mesma década, concretamente em 1998 q o kamesu começou com os meus primeiros passos,  época em q juntei-me a amigos e primos e começamos a freestalizar no terraço do kubico num dos meus Dred’s.


2 – Donde vem o kamesu?
R: Venho directamente das katakumbas do kazenga (hoji ya henda), lá aonde postulam-se firmes, os pilares ideológicos do movimento hip hop angolano.


3 – Fala do kamesu como soldado do movimento hip hop?
R: O hip hop é um movimento cultural de auto-afinação valorização e concertação de valores, é uma ferramenta q agrega inúmeras versões da inconformalidade, portanto, M.C’S, D.J’S, B.BOY’S, GRAFFIWRITER reais, são como soldados destemidos q postulam ideias em prol duma mudança positiva. Porem como M.C e activista q sou, metralho compulsivamente com verdades, as realidades q o meu senso capta nesta esfera global.


4 – Quais são os projectos em curso?
Bem tenho um álbum q intitula-se kontra ofensiva a ser cozinhado, em simultâneo apimento a mix tape De Mão em Mão.  São estes os projectos em curso, embora tenho estado a fazer algumas participações em brindes de kambas, já agora tenho dois temas muito frontais na colectânea FILHOS DA RESISTENCIA brevemente nas ruas de Luanda.


5 – Quais são os produtores que até agora estão no teu album
Confirmados estão SAN CALEIA; FX, provavelmente o DJ FILAS e eu, quanto aos outros, são questões a acertar.


6 – Se tivesse q homenagear quais seriam?
Na verdade homenagearia todos aqueles q firmemente representa o movimento nas suas mais variadas vertentes. Não gostaria de citar nomes, porq estaria limitado só nos q conheço, enquanto por outro lado existem muitos bons pra serem também homenageados.


7 – Acha q recebe calor suficiente dos M.C´s q te rodeiam?
Ya! Na verdade recebo, embora existam alguns manos meios mornos o q é próprio em determinado meio, pra já um abraço pra todos vocês meus manos xtamos juntos unidos e misturados.


8- O hip hop nacional já está para além das fronteiras, o que tem a dizer a cerca disto?
Suficientemente bon não diria, poderem resta ralçar no que concerne o underground abriu-se uma nova era com os albuns “Caminhos” de KID MC, “Kultivar”  KOOL KLEVER” ambos reanimaram, digo aquilo que era quase considerado morto (o underground) Para voces força, quantos aos outros continuemos, que ainda a muito que caminhar.


9- Acha que o nossso movimento está centralizado
Ya até certo ponto sim, qualquer que seja o dread, querer afirmar-se como tal consernente ao hip-hop, tem de necessariamente  descer para city, onde julgamos estarem concentrados o leque de opurtunidades, aconteceu com o MEGA FOFO saindo de viana, FATHER MACK e BOY G, que até são da banda, mas projecção como tal, fizeram fizeram-na descendo para city. Porém digo que  o hip-hop sobre tudo dos guettos precisa ser revisto a fim de trazer a reanimação necessária para os bons produtores, m.c´s grafiteiros e até b-boys, para quem não sabe. Como MC e activista do hip-hop apelo uma urgente revisão se assim não querermos da história.

10- Como vai o movimento na zona em q vive?
R: Épa! meio morto. Meio morto digo porq já não se faz sentir o q era característico da zona, à zona era forte em espectáculos debates e palestras mas agora népia, nada disso mais se vê para alem de algumas resistências dos M.C’S, mas o essencial foi-se e o essencial é o activismo, este porq tem a capacidade de formar e capacitar os divíduos praticantes ou não da hip hop.

11- achas que dás contributo suficiente ao movimento? 
Sim, e não! Sim porque isto nisso como um bloco que se impõem e solidifica a moralhas não porque como músico que sou, ainda não me sinto a nível de um alto reconhecimento pelo que fiz e pelo venho a fazer como tal. Porém vivo compulsib«vamente  pelo que  espero um dia ver o deixar a concretizar-se (espero que entendam)

12-  palavra a solta
Ia a princípio louvar o teu gesto de reelevar na web  mais uma vez este movimento onde as ideias imortaliza os homens, em seguida um braço para todos os meus manos da ORÁCULO, ÁGUAS TURVAS, Kuarteirão Norte,  (propriiamente Kota Nguma) e a todos militares  deste underground que não pára.

Paz KAMESU aka VOZ SEKA         
              


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

SAN VS MUSTAPHA ENTREVISTA
































Mustapha quem é?
Eduardo luther beny, Simples e objectivo, que é visar um contributo ao moviment, auto-poder infinito de ajuda aos povos oprimidos. Hip-hop

Sei que já trabalha a muito tempo, o que tem a dizer sobre este precurso?
É muito tempo de luta com exitos e fracassos, em contra partida o hip-hop dá-nos força e coragem.

Como vai o movimento na zona em que vives?
Não está morto como muitos afirmam inconscientemente ou sem conhecimento de causa, mas vai indo apesar de algumas dificulades.

Acha que o movimento hip-hop nacional está centralizado e  porque?
A humildade afoga-se no egoísmo, se reguardo um pouco no tempo vermeos que todo mundo era irmao, depois o capitalismodesvinculou os laços que nos uniam, ai o movimento centralizou-se, exemplo vimos nos shows, se nãofores da mesma crew não cantas, quer dizer que as coisas funcionam por  simpatia centralizando o hip-hop para um determinado meio o outro grande problema, são as participações se não fores bró tás lixado, ninguém guerreia sozinho isso é auto poder infinito de ajuda aos povos oprimidos

Acha que as zonas periféricas tem escasses ou dificuldades em fazer trabalhos ou caresse de profissionais?
Desculpa-me acho que as duas coisas!

Existem bons mc´s em angola, acha que em termos liricos precisamos escrever mais?
Existem muitos bons MC´s sim, liricos como MCK , KLEVER, KID, SAN, FLAGELO, EDU ZP  e muitos outros mais duros e mais leves, embora alguns se auto- intitula hard core, quando não são, porque hard core é luta e dar sangue pela libertação das massas oprimidas,tudo e  hip-hop e estamos fazendo hip-hop
 
Quais são os albuns que mais curtiste?
Muitos  particularmente albuns de hip-hop un derground, dizem sempre algo, pode não ser no seu todo ma dizem sempre algo por isso eu curto todos os dicos underground

Quais são os teus projectos e objectivos
Vários projectos em carteira como o album “MANISFESTO” que está em gravação e mergulhado em ÁGUAS TURVAS E MASSIUVA , tenho uma maquete estraída deste album voces têm disponível neste blog, estou a trabalhar para “MIXTAPE DE MÂO EM MÂO” com meu bró KAMESU, há objectivos muito maior prefiro nem dizer

Vivemos uma era em que já não temos problemas de estúdios e produtores e em relação aos preços?
Claro já não temos problemas de estúdios e em relação aos preços acho sinceramente que estão assecíveis

Palavra a solta
Por mais albuns que lancemos e por maisaceitação que tivermos nunca seremos donos do HIP-HOP, seja humilde,  as vezes sermos bons demais envez de ganhar-mos mais humildade ganhamos escesso de auto-estima. 

paz 
EDUARDO LUTHER BENY AKA MUSTAPHA


                    SAN PELAS RUAS

                    Aqui vai o meu apoio aos manos da BAW CREW que deixaram alguns TAGS pelas ruas de Luanda, tive a oportunidade de fazer um Flash e mandar para o mundo esta imagem one






















                    Este GRAFF curti bués da ideia, esta sena esta num cubico no hoji-ya-henda, publico aqui para dar forças a muitos manos que como eu já grafitaram ou continuam a fazer a arte props para todos.
                    curtes hip-hop? Entãoo represente os elementos todos PAZ

                    DIÁRIO DA PERIFERIA

                    DIÁRIO DA PERIFERIA
                    Discurso 1


                    Estas imagens são de luanda falo comcretamente da Cuca, 
                    estrada do São Paulo, hoji-ya-henda, kicolo.


                    Muito bom dia caros leitores, queridos visitantes amigos e amigas, obrigado pela santa paciência da opurtunidade de lerem estas pequenas palavras que revelam uma grande realidade ignorada pelas infinita quantidade pessoas. 






























































                    Escrevo por muitos que não conseguem escrever e falo por muitos que já nem conseguem falar devido  pressão do dia-a-dia e do cansaço extremo de uma vida de escravos, acorrentados a esta mizéria incalculável. Sobrevientes dos bairros de lata, bairros de luanda, falo destas pessoas que todos os dias enchem a cidade capital deste grande pais Angola.

                    Estas imagens ajudarão a compreender o que vos quero transmitir, esta realidade que vos falo faz parte da minha vida, eu, sinceramente, tenho transporte mas quando não, sou uma desta pessoas que precorrem grandes distâncias a pé a procura de transportes todos os dias para chegar ao serviço e contribuir para este pais e para o sustento diário dos nossos estomagos repletos de fome.





















                    Vamos agora focar alguns pontos como causas e consêquencias: 

                    Porque quantidade de pessoas?
                    Estas pessoas acumulam-se nas paragens a espera de tranporte para seus locais de destino, mas devido a ausência de transporte, camiam centenas de metros ou mais até ao ponto onde haja transporte. Geralmente nós andamos da rotunda da Cuca até ao Colégio Sital de Base que calculadamente quase um kilómetro (talvez).

                    Mas porquê a ausência de transportes?
                    Devido a má qualidade da estrada que liga a periféria e o centro da cidade de Luanda. Esta via já sofreu várias reparações chamadas de tapa buracos mas nem com isto conseguio-se resolver os problemas.

























                    Porque?
                    Porque as entidades competentes acredito que simplesmente banalisam e aliás não conhecem a realidade em que vivemos, não existe força fiscal para o controlo da qualidade das obras, o nosso país sofre de uma grande epidemia da comissão, e isto é uma das caucas, e porque começou-se uma obra de restauração que já leva mais de um ano e infelismente nada se faz.

                    Consequências 
                    Estas pessoas sofrem bastante ao ter que viver com esta realidade todos os dias
                    As pessoas chegas ao serviços sujas, cansadas, extressadas e aborrecidas
                    Fraco desempenhos no local de serviço
                     Geralmente muitos trabalham para empresas privadas e trabalham por cima da falta
                    Retarda o desenvolvimento da empresa da própria vida profissional e económica de todo país.
                    Faltas saõ descontadas muito dinheiro e não activa espírito de trabalho
                    Dificulta a comunicação com outros colegas e com o patrão
                    Salário baixo gera mais conflitos até no lar pro falta de condições
                    Recentemente falei com uma cunhado médico e disse-me que actualmente já há muito enchente de pacientes para consulta de hipertenção, acho que as pessoas extressam-se bastante preocupados em como sobreviverem, como as pessoas.

                    Eu espero que este texto possa realmente comover-te, envie esta mensagem, faz parte de todos nós, a maioria da população deste país é periférica. Nesta realidade estão milhares de angolanos, lembre-se que somos nós que viemos para os grandes pontos das cidades para trabalhar e vindo de vários pontos como Viana, Zango, Cacuaco, Bairro Uíge, Fubu, Petrangol, Balumuka, Kicolo, Nguanhá, Cuca, Rangel, Sambila, Cazenga no geral. Há muita gente a sair dos becos do benfica, Samba 2, etc, etc.

                    O pessoal que vive no centro da capital nunca vai compreender esta realidade é impossivel defender o povo quando não se compreende a realidade deste povo. Se o caro leitor nunca foi a América, nunca poderá falar das ruas de New York, é simplesmente absurdo e ignorante.

                    Esta é a minha opinião e de muitos que vivem a mesma realida eu represento o meu povo, e tudo que escrevi é mera realidade e a realidade é dura, é como a luz, e enquanto eu estiver aqui vou postar senas dos bairros de lata de Luanda para o mundo

                    Muita paz
                    Não esqueça de comenta se faz favor.